22 de fev de 2012

Filme x Livro - As Brumas de Avalon


A obra literária As Brumas de Avalon (título original: The Mists of Avalon) foi escrita pela americana Marion Zimmer Bradley no final da década de 1970 e começo da de 1980. A série foi dividida em quatro livros: A Senhora da Magia, A Grande Rainha, O Gamo Rei e O Prisioneiro da Árvore.O filme baseado no livro foi feito em 2001 especialmente para a televisão em formato de minissérie pelo canal TNT. Ao todo, o filme possui 3 horas de duração e apesar disso, 3 horas é um tempo muito curto para relatar quatro livros inteiros.

A história narra a lenda do Rei Arthur pela perspectiva de Morgana, que nada mais é que irmã de Arthur e uma sacerdotisa da lendária ilha de Avalon, onde nasceu a religião da Deusa mãe.
Naquela época os saxões varriam a Bretanha matando tanto cristãos como pagãos. A Bretanha precisava de um grande líder que unisse cristãos e pagãos ou Avalon estaria condenada ao desaparecimento! Nessa época Morgana ainda era criança e vivia com sua mãe, Igraine, e sua tia Morgause na Cornuália, enquanto seu pai, Gorlois, o Duque da Cornuália, lutava contra os exércitos saxões.
Preocupada, Viviane que é a Senhora do Lago (a mais importante sacerdotisa de Avalon) e irmã mais velha de Igraine, depois de ter uma visão de que o Rei morreria sem deixar herdeiros, entra em contato com a mãe de Morgana para avisá-la de que seria ela quem geraria o futuro líder da Bretanha, mas não com seu marido. Isso a desagrada, mas ninguém pode fugir do destino e no futuro nasce Arthur.


Há também outros personagens muito importantes na história, como Pendragon (que é feito rei e também é o pai de Arthur), o Merlim (um mago, profeta, conselheiro e grão-druida) que tem maior importância no livro do que no filme, Lancelot (filho de Viviane e o maior cavaleiro de Arthur), Guinevere (Rainha, mulher de Arthur, totalmente obsecada pelo cristianismo), Mordred (filho de Morgana), entre outros.


A obra tem como objetivo dar importância às mulheres que fizeram parte da lenda e como eram as religiões pagãs antes do cristianismo dominar tudo, por isso não espere encontrar tantas citações de lutas no livro nem no filme.

Como é de se esperar o filme não segue a história do livro. Acredito que o filme devia ter sido feito em mais partes, pois a história foi muito modificada, além de muitas coisas importantes não terem sido citadas no filme. Não sei se quiseram deixar a história diferente de propósito ou modificaram pois não havia tempo o suficiente para relatar tudo.

Quando há fatos não citados, nem há tanto problema, mas modificar a história incomoda bastante. Um exemplo disso é que todas as mortes ocorrem de uma maneira diferente. Além disso, no filme, Morgause (tia de Morgana), é apontada como a principal vilã, quando no livro Guinevere aparenta ser a principal vilã.

A rainha Guinevere é uma fanática religiosa, tanto que faz Arthur esquecer das promessas que fez à Avalon quando Viviane lhe entregou a espada Excalibur para se tornar rei. Desse modo, Arthur começa a governar apenas para os cristãos e Avalon vai ficando cada vez mais esquecida.
No filme não é mostrado a influência que Guinevere tem sobre Arthur, assim como também não mostra os padres cristãos como homens tão fanáticos e autoritários quanto o livro os mostra.

Para quem não leu o livro, o filme pode parecer bem interessante. Mas infelizmente, quem leu os quatro volumes de As Brumas de Avalon, provavelmente ficou um pouco decepcionado com tantas modificações feitas na história.

2 comentários:

  1. Parabéns pela dica Fátima! Já li a série As Brumas de Avalon e amei! Assisti o filme também e curti bastante, apesar dele não ser fiel ao livro. Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Retribuindo a visita!!
    Espero que volte mais vezes no JTF!!
    www.sosneurose.blogspot.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...